Quem trabalha na área de Micropigmentação pelo menos nos últimos 15 anos, aprendeu e estudou sobre a estrela de Oswald, cores primárias, secundárias e terciárias. Quais cores neutralizavam outras e por aí vai. O tempo passou, os profissionais se prepararam e estudaram muito sobre química, mecânica e biologia. Além disso, teve o mais importante: a experiência prática. Muitos profissionais experientes defendem a tese de que o peso da mão é que influencia na cor na pele, por exemplo, se no frasco está castanho escuro, na pele deverá ficar a mesma cor se for aplicado com a técnica correta, coesa e precisa. Tudo que aprendemos sobre melanina fria deve ser utilizado de forma reversa com pigmentos quentes. Tanto é que, mesmo com todos esses estudos, ainda existem vários procedimentos que degradam para o azul, verde, vermelho, rosa e ou até mesmo chumbo. Mesmo seguindo os fototipos de Fitzpatrick, “colorimetria dos pigmentos”, muitos profissionais se perdem nas informações.

Mas quer dizer que tudo que aprendi está errado?

Não. Na verdade, sempre trabalhamos na base da experiência. Professores têm e tiveram o seu aprendizado sendo passado para frente através de conhecimento de prática durante anos. Isso fez com que vários micropigmentadores trabalhassem sem saber o que estavam aplicando na pele de seus clientes. Até então, eram essas as informações que todo mundo tinha. A indústria sofreu e está em mudança constante nos últimos anos, principalmente na parte científica. O PMU Alchemist é um evento organizado pelo grupo HAUT e pelo professor Alisson Schuster, que tem desbravado todos esses estudos sobre o resultado do pigmento na pele. Alisson tem liderado vários estudos na frente da indústria e desmistificado muitos assuntos relevantes. O principal deles é sobre todas as características químicas dos pigmentos. Os Cis que formam cores de cada cor, as diferenças de orgânicos, inorgânicos e outros.

A colorimetria é usada apenas para neutralizações de cores que degradaram para tons errados, como, por exemplo, sobrancelhas azuis (Pigmentar com o laranja/Verde) – neutralizar com o vermelho ou para misturar cores de castanhos médio e escuro e etc. Devemos usar os fototipos apenas para escolher a cor ideal para os clientes. Um exemplo é utilizar para loiras os pigmentos castanho claro ou marrom claro. Para morenas, castanho escuro ou médio. Para aprofundar os estudos, o profissional deve se aprofundar em estudos químicos onde aprendemos realmente o que estamos implantando na pele de nossos clientes e também o resultado de cada aplicação.